Veja 17 profissões que podem contribuir para um projeto ambiental

Não são apenas técnicos e cientistas que podem ajudar no trabalho de uma organização ambiental. As entidades do terceiro setor, principalmente as de grande porte como nós, do Projeto Albatroz, têm um fluxo intenso de trabalho que precisa da contribuição de diversas especialidades diferentes.

Como é impossível encontrar todas as atribuições necessárias em apenas um tipo de profissional, dividimos as tarefas e buscamos pessoas capacitadas para desenvolver cada uma delas com toda a eficiência possível.

Tem vontade de iniciar uma nova carreira ajudando o planeta? A boa notícia é que uma grande variedade de profissionais podem ajudar na conservação ambiental com seu conhecimento teórico, experiências e repertório pessoal, mesmo não sendo um pesquisador ou acadêmico da área. Veja a seguir a lista de carreiras possíveis em um projeto ambiental. Quem sabe a sua não se encaixa em alguma das funções que executamos?

O Projeto Albatroz, patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, se divide em quatro grupos de trabalho que atuam, cada um à sua maneira, para conservar espécies de albatrozes e petréis em extinção:
 

Técnica: é formada por pesquisadores que trabalham em conjunto com pescadores e poder público para fortalecer uma rede de cooperação em prol da redução da captura de albatrozes e petréis pela frota de barcos de pesca de espinhéis no Brasil. Os técnicos visitam pontos de descarga pesqueira e empresas de pesca, estabelecendo uma rede de cooperação a fim de: capacitar os pescadores sobre as medidas mitigadoras existentes, coletar informações sobre padrões de captura de aves com ajuda do relato dos trabalhadores pesqueiros, realizar ações de Educação Ambiental e embarques nos barcos para pesquisa e capacitação dos trabalhadores. Com base nos dados coletados e parcerias internacionais, os pesquisadores produzem estudos científicos de relevância nacional e internacional.

Educação ambiental: compartilham de forma simples o conhecimento da organização sobre os animais e o meio ambiente com uma série de públicos, desde crianças e jovens a gestores empresariais por meio de eventos, oficinas e palestras. O objetivo é sensibilizá-los sobre a situação de extinção da vida dos animais marinhos para que atuem como protetores da natureza, assim como formar lideranças potencializadoras da mensagem do Projeto.

Administrativo: neste setor profissionais são encarregados das movimentações financeiras da instituição. Realizam funções de recursos humanos, cuidam da logística de viagens/transporte e também providenciam a compra de materiais de apoio e bens do Projeto. São responsáveis pela prestação de contas a todos os patrocinadores da instituição.

Comunicação: 

traduzem o conhecimento científico da instituição de formas criativas por meio da criação de conteúdo personalizado, apresentando o albatroz e as ações do Projeto, para diferentes formatos de veículos ou mídias digitais próprias ou de terceiros com assessoria de imprensa. Assessoram o Projeto de forma com que toda a comunicação visual/institucional é zelada por esses profissionais que visam padronizar sua imagem e identidade. Dessa maneira, desenvolvem peças publicitárias e materiais que promovam o albatroz, assim como ações de marketing para eventos. É um dos principais setores responsáveis pela formulação de propostas e atendimento a patrocinadores e pela promoção de ações de captação de recursos da instituição.

Tomando como base nossa própria estrutura de trabalho, a área técnica de um projeto ambiental pode se beneficiar do trabalho de especialistas nas áreas de: Biologia, Biologia Marinha, Oceanografia, Oceanologia, Engenharia Ambiental e Ciências do Mar.

Já a seção de Educação Ambiental conta com a expertise de profissionais de diversas áreas. Na prática, qualquer profissional pode atuar na sensibilização do público em atividades e palestras. Pedagogia, Psicologia e Educação Física também são campos de estudo importantes nesta área para desenvolver atividades para a assimilação do conteúdo por crianças em projetos como o Albatroz na Escola e Coletivo Jovem Albatroz, por exemplo.

O administrativo do Projeto fica a cargo de duas carreiras específicas: Gestão Ambiental e Administração.

Por último, no campo da comunicação, podem contribuir os profissionais das áreas de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas, Moda, Rádio e TV e Design.

Estudantes também podem ajudar?

O Projeto Albatroz é uma das iniciativas do Instituto Albatroz, uma organização sem fins lucrativos que recebe apoio voluntário para ampliar suas ações em prol da conservação marinha. Para tanto, recebe ajuda de profissionais ainda em formação ou já formados que queiram contribuir com a causa. Profissionais iniciantes ou com carreiras voltadas às áreas descritas acima, podem contribuir com seu senso crítico e experiência por meio de nosso Programa de Voluntariado.

Ele se estende a todas as cidades onde atuamos: Santos (SP), Itajaí (SC), Itaipava (ES), Rio Grande (RS) e Cabo Frio (RJ). De acordo com nossa demanda, buscamos envolver voluntários que desejem atuar em favor da conservação dos albatrozes e petréis, potencializando nosso trabalho em diferentes áreas.

foto-noti-cias-representante-semina-rio-combate-ao-lixo co?pia2 Foto Noti?cias_Chamada para Oficina 2 foto-noti-cias-representante-semina-rio-combate-ao-lixo co?pia3

Leia mais

+ Notícias

Foto Noti?cias_Workshop internacional

Workshop internacional do Common Oceans Tuna Proje...

Pesquisadores brasileiros e estrangeiros, representantes do governo e organizações ambientais se reunirão nos dias 14 e 15 de dezembro com o Projeto Albatroz, pa...

06/12/2017 Leia mais
Foto Noti?cias_Reunia?o Revisa?o PLANACAP

Planacap foca na conservação de albatrozes que int...

Documento lançado oficialmente em 2006, o Plano de Ação Nacional para a Conservação de Albatrozes e Petréis (Planacap), passou por um segundo encontro para a rev...

04/12/2017 Leia mais

+Projeto
Albatroz

Seja um voluntário

Leia mais