• Portugues
  • English
  • Spanish

Projeto Albatroz retorna às reuniões do Fórum Patagônico

Reunião com mais de 20 ONGs de conservação marinha reuniu esforços e alinhou estratégias em prol da região do mar patagônico

A coordenadora geral do Projeto Albatroz, Tatiana Neves, viajou à cidade de Mar Del Plata, na Argentina, em novembro, para uma reunião que não acompanhava há mais de dez anos. O Fórum Patagônico é formado por uma coalizão de mais de 20 organizações sul americanas do terceiro setor que trabalham pela conservação marinha de uma região conhecida como Mar Patagônico - que envolve o território marítimo desde o sul de Santa Catarina até o Chile. O objetivo do encontro foi alinhar estratégias de conservação para a manutenção da vida de animais como baleias, pinguins e, claro, albatrozes e petréis.

A trajetória do Projeto Albatroz e do Fórum Patagônico se cruzaram no segundo encontro promovido pelo grupo. Desde então parte da costa sul do Brasil foi incluída no Mar Patagônico. Realizada na cidade de Colônia do Sacramento, no Uruguai, em 2005, a reunião foi determinante para o futuro do fórum, pois criou suas bases organizacionais e área de atuação. “O encontro foi crucial, porque nele ocorreu a formação do Fórum Patagônico de fato, com a definição de sua área-alvo, nome, principais objetivos, propósitos e sua missão”, explicou Tatiana Neves.

A região do Mar Patagônico é uma convenção adotada entre as ONGs participantes e delimita uma área-alvo para suas ações de conservação. Recentemente, ela foi ampliada e passou a envolver as águas desde o sul do Cabo de Santa Marta (SC) até parte da costa chilena.

Áreas marinhas protegidas

Entre os principais avanços da reunião anual, a coordenadora do Projeto Albatroz destacou a criação de áreas marinhas protegidas dentro dos limites do Mar Patagônico. Uma delas está localizada entre o Brasil e o Uruguai, englobando desde o Farol do Albardão até águas próximas à costa uruguaia. Essa proposta foi apresentada por um grupo formado pelo Instituto Baleia Jubarte, Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental (Nema) e a Organización para la Conservación de Cetáceos (OCC).

Segundo Tatiana, o Projeto Albatroz, patrocinado pela Petrobras, passou a fazer parte desta proposta de área marinha protegida, pois a região é de grande interesse para a instituição, já que nela ocorrem diversas espécies ameaçadas de albatrozes e petréis. Desta forma, as três ONGs brasileiras estão unidas pela proteção de uma mesma área patagônica, cada uma com seu foco de atuação específico.

Também fizeram parte da pauta do encontro, discussões sobre a gestão de tais áreas marinhas protegidas, além dos impactos que o Mar Patagônico vem sofrendo nos últimos anos. Um deles diz respeito ao funcionamento das salmoneiras - ‘fazendas’ aquáticas para o cultivo de salmão. Esta atividade alimenta o mercado de diversos países sul americanos e, se mal gerenciada, causa fortes impactos à fauna marinha.

Sinergia entre instituições

Como vice-presidente do comitê assessor do Acordo para a Conservação de Albatrozes e Petréis (ACAP), Tatiana Neves reforçou na reunião a importância do Fórum Patagônico para fortalecer a união e a sinergia de trabalho entre as organizações da América do Sul em prol da conservação marinha. Também aproveitou para convidá-las a participar da 11ª reunião do Comitê Assessor do acordo, que ocorrerá em maio de 2019 na cidade de Florianópolis (SC).

“Para mim, foi uma grata satisfação poder voltar à reunião do Fórum e vê-lo tão atuante e tão fortalecido, com diversas ONGs relevantes para a conservação ambiental, como a WWF e o Greenpeace”, finalizou.

Na opinião do coordenador de desenvolvimento institucional do Projeto Baleia Jubarte, José Truda Palazzo Jr, o Fórum do Mar Patagônico é a mais importante rede da sociedade civil para a conservação marinha na América do Sul. “Através de nossa participação nele, estamos somando forças para fortalecer a criação de novas áreas marinhas protegidas na região, bem como colaborando em diversas iniciativas regionais que visam proteger a inestimável biodiversidade de nossos mares compartilhados”.

 

 


Leia mais

+ Notícias

@Dimas Gianuca_1

Técnicos do Projeto Albatroz e UNIVALI integram fo...

Workshop da FAO/BirdLife na África do Sul teve o objetivo de compilar dados sobre a captura incidental de aves oceânicas ao redor do mundoO coordenador científic...

19/03/2019 Leia mais
Foto Noti?cias_Semana do Meio Ambiente

Mais de 3,5 mil crianças e jovens participaram de ...

Equipe de educação ambiental divulgou balanço das ações e traçou objetivos para este anoUma das áreas de atuação mais importantes para o trabalho do Projeto Alba...

18/03/2019 Leia mais

+Projeto
Albatroz

Seja um voluntário

Leia mais