• Portugues
  • English
  • Spanish

Projeto Albatroz apresenta resultados de estudos científicos durante a 11ª Reunião do Comitê Assessor do ACAP, em Florianópolis

Foto Notícias_ACAP 2019

Autoridades e cientistas de 13 países se reunirão para duas semanas de apresentações e trocas de dados sobre conservação de albatrozes e petréis

O Projeto Albatroz será um dos representantes do Brasil na 11ª Reunião do Comitê Assessor do Acordo Internacional para a Conservação de Albatrozes e Petréis (ACAP), que começa hoje (6), em Florianópolis (SC). Até o dia 17 de maio, autoridades e cientistas de 13 países vão apresentar resultados de pesquisas científicas, atualização de dados sobre populações e medidas de conservação das aves, além de discutir ações que possam minimizar a mortalidade destes animais conforme o contexto de cada país.

Além do Brasil, participam desta reunião a Argentina, Austrália, África do Sul, Chile, Equador, Espanha, França, Noruega, Nova Zelândia, Peru, Reino Unido e Uruguai, todos signatários do acordo multilateral que reafirma o compromisso desses países para a troca de dados e articulação de ações em prol da sobrevivência de 31 espécies de albatrozes e petréis - grupo de aves oceânicas mais ameaçadas do planeta.

Grupos temáticos

Três grupos de trabalho se reunirão entre os dias 6 e 10 de maio: Captura Incidental, Estado de Conservação e Populações e Taxonomia das Aves. Nesses grupos de trabalho, a equipe técnica do Projeto Albatroz, que tem o patrocínio da Petrobras, apresentará três estudos científicos: “O potencial papel do Banco Nacional de Amostras Biológicas de Albatrozes e Petréis (BAAP) para a pesquisa e conservação das espécies do ACAP”, “Captura incidental na pesca de espinhel de dourado e atuns no sul-sudeste brasileiro” e “Mutilações no bico de albatrozes e petréis: um apelo para as melhores práticas de mitigação de efeitos subletais da captura incidental em aves oceânicas”.

O Comitê Assessor do ACAP é responsável pelas tomadas de decisão sobre os temas discutidos nos grupos de trabalho e também por levar demandas à reunião mais importante do acordo: o Encontro das Partes, realizado a cada três anos. Atualmente, a fundadora e coordenadora geral do Projeto Albatroz, Tatiana Neves, exerce o cargo de vice-presidente deste comitê.

De acordo com ela, a costa sul e sudeste do Brasil é um dos principais locais de conservação dessas aves migratórias e é um dos pontos mais importantes de capturas incidentais na pesca com espinhel.  “A conservação de albatrozes e petréis no Brasil avançou bastante com a adoção, por exemplo, do Toriline, que é uma tecnologia para evitar a pesca incidental. Contudo, estima-se que ainda 4 mil aves sejam mortas no país pela pesca com espinhel.” A coordenadora afirma que é uma grande honra receber pela segunda ver uma reunião do ACAP no país e garante que estão preparados para recepcionar pesquisadores para esses dias de muito trabalho em prol dessas aves marinhas”.

Destaques da programação

No dia 7 (terça), às 19h, o Projeto Albatroz dará as boas-vindas aos participantes da reunião com uma sessão do Jogo do Albatroz com os membros internacionais do Grupo de Trabalho de Captura Incidental.

No dia 15 (quarta), também às 19h, o Projeto Albatroz vai oferecer um coquetel aos participantes e apresentar o Banco Nacional de Amostras Biológicas de Albatrozes e Petréis (BAAP), iniciativa que cataloga e armazena dados como sangue, tecidos, penas, órgãos, entre outros que auxiliam nos exames de DNA de aves marinhas, detecção de poluentes, virologia, bacteriologia e contaminação por microplásticos.

O BAAP propõe o intercâmbio dessas amostras para pesquisadores e instituições nacionais e internacionais com o objetivo de subsidiar estudos científicos em prol da conservação marinha. Ele é gerido pelo CEMAVE/ICMBio em parceria com o Projeto Albatroz e colaboração da R3 Animal.

Nesse mesmo dia, haverá a entrega de homenagens do Projeto Albatroz ao pescador inventor do Toriline de fitas curtas utilizado no Brasil, José Ventura, e à Kowalsky, empresa pesqueira que apoia a realização de embarques para pesquisas do Projeto Albatroz.

Projeto Albatroz no ACAP

Uma das principais atividades do Projeto Albatroz em prol da conservação marinha é o desenvolvimento de pesquisas e medidas para a proteção de albatrozes e petréis. Esses estudos são apresentados e defendidos por meio de ações de políticas públicas nacionais e internacionais. Nesse sentido, a presença do Projeto no ACAP é estratégica devido à alta incidência de capturas de aves no mar territorial brasileiro que se reproduzem em outros países.

 

11ª Reunião do Comitê Assessor do ACAP

Local: IL Campanario Villaggio Resort - Avenida dos Búzios, 1760 - Jurerê Internacional, Florianópolis (SC).

Programação:

7/05: Sessão do Jogo do Albatroz com o Grupo de Trabalho de Captura Incidental

6, 7 e 8/05: Reunião do Grupo de Trabalho de Captura Incidental

9 e 10/05: Reunião do Grupo de Trabalho de Estado de Conservação e Populações

15/05: Apresentação do BAAP - Projeto Albatroz

13 a 17/05: 11ª Reunião do Comitê Assessor do ACAP

Foto Notícias_Reunião ACAP 2 Foto Notícias_Reunião ACAP Foto Notícias_Reunião ACAP 3

Leia mais

+ Notícias

whatsapp-image-2019-08-14-at-16-28-09-1-dfsd

Semanas entre ventos fortes e um mar de albatrozes...

O castelo de proa golpeia um vagalhão espalhando um spray de água salgada sobre o convés que protege, enquanto isso a tripulação do Maria colhe o material de pes...

21/08/2019 Leia mais
WhatsApp Image 2019-08-14 at 16.28.09 (1)

Exposição ‘Vida no Mar’, do Dr. Dimas Gianuca, che...

Mostra segue até março do ano que vem com 11 fotografias registradas pelo coordenador científico do Projeto Albatroz em suas expedições de pesquisaApós uma tempo...

14/08/2019 Leia mais

+Projeto
Albatroz

Seja um voluntário

Leia mais