• Portugues
  • English
  • Spanish

O que fazer quando encontrar uma ave silvestre na Baixada Santista?

Ti?-sangue Ramphocelus bresilius - Foto Ciro Albano - SAVE Brasil

Diversas espécies de aves silvestres nativas da Mata Atlântica podem acabar no meio urbano. Saiba o que fazer e a quais órgãos recorrer no caso de emergências

Bem-te-vi, canário-da-terra, coruja-buraqueira, quero-quero e tiê-sangue são algumas das centenas de espécies de aves típicas da Mata Atlântica que, por vezes, aparecem nas cidades. O bem-te-vi e o quero-quero, por exemplo, são mais adaptados ao ambiente urbano, mas também podem sofrer acidentes que requerem cuidados especializados. Para contribuir para resgates de animais como esses, o Projeto Albatroz, patrocinado pela Petrobras, buscou respostas com a médica veterinária e mestre em Ciências Biológicas, colaboradora voluntária do Projeto Albatroz, Patricia Serafini, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (CEMAVE).

Ao encontrar uma ave ferida, a primeira providência necessária é entrar em contato com técnicos da Divisão de Fauna Silvestre do Município, pois seus especialistas poderão esclarecer dúvidas sobre diferentes situações envolvendo a fauna do município.

Para o transporte, o ideal é utilizar uma caixa de papelão fechada, com pequenas aberturas para o animal respirar. É importante não fazer o transporte as aves em gaiolas, pois elas podem acabar se ferindo por estresse.

As instituições mais capacitadas para o recebimento destes animais no estado de São Paulo são os Centros de Manejo de Fauna Silvestre. Eles se dividem em Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), o principal deles localizado na cidade de Lorena, e Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), como projetos ambientais e outras instituições de reabilitação.

 

Como ajudar antes do atendimento especializado?

Caso a ave ainda seja filhote, o ideal é mantê-la em segurança próximo ao seu ninho, para que seus pais possam continuar alimentando-a. Os melhores cuidadores do filhote são seus próprios pais. Caso esteja realmente ferida, e não apenas fora do ninho, é necessário contê-la em um local adequado. Um pano limpo e macio pode ser útil nestes casos. Mantenha os filhotes aquecidos, longe de correntes de ar, em local arejado e fora da luz solar direta.

Se possível, mantenha um recipiente com água limpa à disposição do animal e não force sua alimentação, porque existe risco de sufocamento. Evite também a aproximação de animais domésticos para não estressá-lo.

Caso não seja possível devolver a ave filhote aos pais, ela deve ser encaminhada imediatamente a algum órgão competente.

 

O que fazer se a ave estiver ferida ou com dificuldade de voar?

Ao se deparar com uma ave adulta ou filhote, confira o estado geral de saúde do animal. Veja algumas dicas:

 

1- Verifique se há sangue ou alguma alteração na superfície do corpo da ave;

2- Observe se as asas se fecham normalmente ou se ficam caídas (o que pode evidenciar uma fratura); veja também se a plumagem está desigual ou apresenta defeitos (o que pode denunciar o ataque de predadores);

3- Se o filhote não está caído e seus pais estão próximos, não mexa no animal e cuide para que os animais domésticos sejam afastados;

4- Se o filhote estiver emitindo sons e os pais não se aproximarem, afaste-se, pois sua presença pode estar inibindo esse contato;

5- Dê tempo para que os animais tenham a chance de agir naturalmente. Só interfira depois de comprovada a necessidade de algum cuidado especial com a ave.

Tenha em mente: nem toda ave encontrada no chão está com problemas ou necessita de ajuda humana. Observe o estado de saúde do animal e só resgate-o caso seja realmente necessário.

 

Contatos na Baixada Santista:

●         Polícia Ambiental

Unidade que atende Santos, São Vicente, Cubatão, Guarujá e Bertioga: 3. Batalhão 1. Cia 1. Pelotão

Endereço:  Av Manoel Da Cruz Michael, 387 - Santa Rosa - Guarujá/SP
Telefone: (13) 3348-4769
E-mail: 3bpamb1cia1pel@policiamilitar.sp.gov.br

Para denúncias mande um e-mail para: ambientaldenuncias@policiamilitar.sp.gov.br, ou acesse o site http://denuncia.sigam.sp.gov.br/ .

Unidade que atende Praia Grande, Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe: 3. Batalhão 1. Cia 2. Pelotão

Endereço: Rua Dom Sebastião Leme, 115 - Jardim Ivoty - Itanhaém/SP
Telefone: (13) 3421-4560
E-mail: 3bpamb1cia2pel@policiamilitar.sp.gov.br

●         CEPTAS UNIMONTE

Endereço: Rodovia Anchieta Km 56,5 - Parque Ecológico Cotia-Pará, Cubatão/SP
Telefone: (13) 3463-5418 (entrar em contato antes da entrega)
Entregas por particulares: Segunda à quinta 09h às 12h - 14h às 16h
Entrega por órgãos oficiais: Segunda à sexta 09h às 12h - 14h às 16h
Emergências: Segunda à sexta 09h às 12h - 14h às 17h / Sábados 09 às 12h

 

Texto: Bárbara Pitta

Revisão: Danielle Cameira e Jéssica Branco


Leia mais

+ Notícias

Dimas Gianuca (11)

No dia das aves, um pouco sobre as aves marinhas e...

Quando qualquer pessoa pergunta o que é uma ave marinha, o que vem à mente da maioria das pessoas é uma gaivota, ave comum em todas as praias e costas do mundo. ...

05/10/2020 Leia mais
Foto Noti?cias_Planacap confere?ncia virtual

Reunião anual de monitoria do PLANACAP é realizada...

Criado em 2006 como objetivo de colocar em prática estratégias de conservação específicas para albatrozes e petréis que sobrevoam águas brasileiras e se alimenta...

23/09/2020 Leia mais

+Projeto
Albatroz

Seja um voluntário

Leia mais