• Portugues
  • English
  • Spanish

Após o V Encontro Jovem Mar, Albatalks reúne jovens para discutir aprendizados e o futuro da conservação marinha

Foto_notícia (8)

Transmissão ao vivo no Instagram contou com a participação de representantes dos coletivos jovens da Rede Biomar

Mais de 60 jovens de várias regiões do Brasil participaram, em setembro, do V Encontro Jovem Mar, evento que se propôs a envolver os participantes em ações sobre o tema "Territorialidade, Ciência Oceânica e Cultura Popular: os coletivos jovens e a invenção do mundo". Para compartilhar os aprendizados e experiências obtidas durante o evento, o Coletivo Jovem Albatroz organizou uma transmissão Albatalks* com representantes dos coletivos jovens ligados à Rede Biomar, formada pelos projetos Albatroz, Baleia Jubarte, Coral Vivo, Golfinho Rotador e Meros do Brasil. A transmissão ao vivo foi realizada no Instagram do Projeto Albatroz, patrocinado pela Petrobras.

Facilitada por Jéssica Paixão, bióloga e integrante do Coletivo Jovem Albatroz, a live também contou com a participação de Caio Luz (Coletivo Jovem do Projeto Baleia Jubarte), Gabriel Ribeiro (Coletivo Jovem Muká Mukaú, ligado ao Projeto Coral Vivo), Kelly Soares (Coletivo Jovem do Projeto Golfinho Rotador) e Pâmila Rosário (Coletivo Jovem do Projeto Meros do Brasil).

Os coletivos jovens da Rede Biomar foram criados com o intuito de formar lideranças na conservação marinha no Brasil e atuarem de forma direta com as comunidades nos territórios onde estão localizados, compartilhando conhecimentos, reflexões e atividades pela vida do oceano e das pessoas. Pensando nisso, o V Encontro Jovem Mar se propôs a integrar e reforçar o potencial da juventude na construção da sua própria visão de futuro, e promover a valorização da diversidade cultural para o desenvolvimento sustentável.

Pâmila Rosário, integrante do Coletivo Jovem do Projeto Meros do Brasil, reforçou na transmissão ao vivo a importância da escolha de Caravelas (BA) como a sede do evento deste ano, explicando que trata-se de um território importante para a conservação de espécies como os meros e as baleias-jubarte. “O extremo sul baiano foi onde começou o nosso país, é um território com forte bagagem histórica e cultural, graças à presença de povos originários”. 

Entre as atividades do evento, foram destacadas pelos jovens as oficinas do Movimento Cultural Arte Manha, que promoveu a prática de expressões artísticas locais como percussão, serigrafia, papietagem, tranças afro, canto coral e dança. Elas foram importantes para a produção do Cordão da Diversidade, que desfilou o tema da territorialidade e da conservação do oceano pelas ruas da cidade. Gabriel Ribeiro, do Coletivo Jovem Muká Mukaú, relembrou o que aprendeu nas oficinas e a as trocas entre os jovens durante o evento: “esse encontro foi especial porque fez com que a gente fosse capaz de enxergar além do nosso próprio coletivo jovem, e trocar experiências”.

Como fio condutor do evento deste ano, o papel da juventude no futuro da conservação marinha também foi um assunto da transmissão ao vivo. Os participantes discutiram como o V Encontro Jovem Mar contribuiu para ampliar suas visões de mundo e pensar em como todos podem agir em prol do oceano, mesmo aqueles que vivem longe das praias. “A internet é uma ferramenta muito boa para nos ajudar a furar algumas bolhas e nos aproximar das pessoas que vivem no interior do Brasil, para que elas entendam sua importância na conservação”, explicou Kelly Soares, do Coletivo Jovem do Projeto Golfinho Rotador. Segundo ela, proteger rios e nascentes de poluição e erosão é uma forma de agir por um oceano mais saudável.

Ao final da Albatalks, os participantes responderam perguntas do público sobre como funcionam os coletivos jovens, qual é o processo seletivo para integrar os coletivos, como eles trabalham em parceria com os projetos de conservação marinha e o calendário de ações de cada um deles.

Sobre a Rede Biomar

Referência em ações de conservação em todo o Brasil, a Rede Biomar nasceu do empenho em otimizar os esforços institucionais, visando obter excelência em projetos de biodiversidade marinha. Os Projetos convergem conhecimentos e experiências para a realização de ações conjuntas e são atuantes na proteção de espécies e ecossistemas marinhos brasileiros.

Juntos, nos primeiros 10 anos de atuação, os projetos ligados à Rede Biomar já envolveram mais de 9 milhões de pessoas em ações de sensibilização e educação ambiental; produziram mais de 720 publicações técnicas e científicas; apoiaram a elaboração e execução de seis Planos de Ação Nacionais; participaram de mais de 2.230 fóruns nacionais e internacionais e geraram mais de 7.670 matérias na mídia que fortalecem a importância desse trabalho.

* Sobre as Albatalks

As Albatalks são transmissões ao vivo no canal do YouTube e nas redes sociais do Projeto Albatroz, criadas para aproximar o público dos temas relacionados à conservação marinha e ao meio ambiente. A série de lives foi criada durante a pandemia do coronavírus para estimular a discussão sobre temas técnicos, como a ingestão de microplásticos por aves marinhas, reabilitação de albatrozes e petréis, captura incidental pela pesca e também comemorações, como o Dia Mundial do Albatroz. Mais recentemente, as Albatalks passaram também a discutir temas relativos à educação ambiental e à comunicação.


Leia mais

+ Notícias

Foto Wisdom

Wisdom, a albatroz mais longeva já registrada, ret...

A albatroz-de-Laysan tem mais de 70 anos. Espécie é uma das mais afetadas pela poluição do oceano e ...

15/12/2022

15/12/2022 Leia mais
Planacap

Reunião anual de monitoria do PLANACAP deu destaqu...

Encontro também contou com a participação de um representante do setor pesqueiro, e traçou planos pa...

13/12/2022

13/12/2022 Leia mais

+Projeto
Albatroz

Seja um voluntário

Leia mais